Fluvial, poema de Lara Amaral dedicado a mim

14:57

Pois é tão lindo que precisei compartilhar.

FLUVIAL

 Para Gabriel Resende Santos e sua poesia que me preenche. 

Me demoro em suas palavras
como quem pisa seixos de rio
acordando cada ponto des-
temido e abandonado do pé

Em destroços, me acumulo
em seu tempo, como a
última romântica que perdeu
o silvo de despedida do trem

Me refugio em você
desregrada e aberta à
espera do tratado messiânico
dos seus dedos auriculares

Esfacelado, o timbre do corpo
sustenta a trama dos dias
quando sua asa de voo tímido
entreabre-se e me dilacera.

 (Lara Amaral – 26/08/2012)

Postagem original no blog Teatro da Vida

You Might Also Like

3 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images