os amantes sinceros

13:07


respondendo às incorrespondências

diga-me com toda a sinceridade que não pude te dar: eu sou sincero?

mesmo quando deixo o papel escorrer dos meus dedos trêmulos, assustado com o barulho das ondas...? se eu dissesse que seu beijo sugou minha alma; que sou um vazio lamentoso? se eu afirmasse que você não tem nada do que eu quero, mas tudo que me sobrevive? suspeitaria das minhas mentiras, ou as aceitaria apenas por amor? seria capaz de me dar suas mãos pequeninas quando nós nos jogássemos no abismo? olhe meus olhos sem graça, por detrás destes óculos que só saem nos momentos certos; por toda a mentira descontrolada e impetuosa que habita neles, sou sincero? independente da verdade ou mentira que seus lábios ocultam, responda-me. assim poderei sussurrar sua resposta em todas as minhas noites de felizes lamentos.

não, minto.

_Gabriel dos Santos_

Imagem: Chop Suey, de Edward Hopper

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images